Leituras

Sopro da vida - Susan Andrews.

A respiração deficiente está devastando nossa saúde. Aprenda com os bebês como respirar e viver melhor.

Você se lembra da época em que éramos crianças e tínhamos um suprimento quase ilimitado de energia? E agora, já adultos, nos perguntamos para onde foi toda aquela energia. Apelamos para cafeína, açúcar, nicotina, álcool ou dispendiosos suplementos e vitaminas para nos manter "para cima". O que aconteceu? 

Nós nos esquecemos de como respirar. E isso está devastando nossa saúde. Pesquisas médicas estimam que a respiração incorreta desempenha um papel relevante em mais de 75% de todas as doenças. Por isso, se você quiser fazer apenas uma única coisa para melhorar sua saúde e sua qualidade de vida, melhore sua respiração. 

Coloque uma mão em seu abdome, abaixo do umbigo, a outra em seu peito, e simplesmente respire normalmente por alguns momentos. Qual das mãos está se movendo mais? Se a mão de seu peito estiver se movendo mais, você está respirando de forma incorreta. Como a maioria das pessoas atualmente. Estamos respirando mal, bem mal - e nem percebemos. Mais ainda. Estamos completamente inconscientes das sérias consequências.

Uma respiração deficiente tem sido ligada a fadiga, exaustão, palpitação cardíaca, hipertensão, ansiedade, insônia, dores musculares e dificuldades de concentração e memória. O americano Andrew Weil, especialista em medicina integrativa (a união de esforços entre a medicina convencional e os tratamentos complementares), enfatiza: "Treinamento em respiração é a técnica de melhor relação custo-benefício para otimizar a saúde". 

Você alguma vez observou um bebê respirando? Cada osso, músculo e órgão se move a cada respiração. Os bebês respiram com o diafragma, um grande músculo feito um pára-quedas que fica sob os pulmões. Quando o diafragma sobe e desce numa respiração plena, todos os órgãos internos - coração, estômago, pâncreas, fígado, vesícula, intestinos delgado e grosso, rins e órgãos reprodutivos - são massageados e irrigados com o sangue mais oxigenado. A respiração profunda estimula todo o corpo, razão pela qual proporciona tamanha sensação de bem-estar. 

Quando o diafragma abaixa, aumentando assim o volume da caixa torácica, o ar desce para os pulmões inferiores, onde a maior parte do sangue está fluindo. A cada minuto, apenas meia xícara de chá de sangue flui através dos pulmões superiores, enquanto a parte de baixo está encharcada com mais de 1 litro. Logo, se você não respirar profundamente, através de seu abdome, não levará o oxigênio até lá embaixo, onde está a maior parte do sangue. E como você se sente com isso? Esgotado. Sem energia. 

Os médicos hoje em dia estão preocupados, observando que a maioria das pessoas não respira com o diafragma. Estamos respirando apenas pelo peito. Essa é a mais comum desordem respiratória da atualidade. Respiramos assim, inconscientemente, quase o tempo todo.

Segundo pesquisas, apenas tocar o teclado de um computador faz com que a maioria de nós tencione o tronco e respire pelo tórax, aumentando o ritmo respiratório enquanto digitamos. Um estudo da Universidade Estadual de São Francisco, nos Estados Unidos, mostrou que, sem práticas para diminuir a tensão, quaisquer ajustes ergonômicos e pausas para repouso são insuficientes para reduzir o risco de LER (Lesão por Esforços Repetitivos) em usuários de computadores, mesmo sob condições ideais de trabalho. 

O simples ato de caminhar numa superfície dura de concreto faz com que as pessoas inconscientemente contraiam o abdome e passem a respirar mais rapidamente, também pelo peito. Logo, só o fato de andar do carro para o local de trabalho e sentar na frente do computador - mesmo que você não esteja estressado pelo seu chefe ou por sobrecarga de trabalho - já o fará respirar errado! 

Mas o que acontece de tão ruim na respiração torácica? Em vez de usarmos os músculos respiratórios primários - o diafragma e os intercostais, entre as costelas -, usamos os músculos mais fracos da parte superior do corpo para expandir e contrair os pulmões, criando uma tensão crônica na parte superior das costas, nos ombros e no pescoço. Essa tensão acumulada é usualmente resistente a terapias tais como massagem, porque retorna assim que se volta ao vício da respiração torácica.

Por que respiramos assim, se é tão errado? A natureza decretou que os animais congelassem sua respiração e tencionassem os músculos abdominais quando percebessem uma ameaça. Isso tem um grande valor para a sobrevivência: um animal imóvel corre menos riscos de ser visto e atacado por um predador. E a contração dos músculos abdominais protege os macios órgãos internos. Essa mesma resposta "lutar-ou-fugir", desenhada para a selva, nós seres humanos ainda mobilizamos em situações de estresse. 

Inconscientemente, retesamos os músculos abdominais, o que "congela" o diafragma e torna a respiração superficial, através do peito. Às vezes, até paramos de respirar temporariamente, sem mesmo nos dar conta disso. 

Mas hoje em dia, em vez de um tigre-dentes-de-sabre, é um torturante engarrafamento, uma criança bagunceira ou colegas chatos que nos impelem a padrões inconscientes de "respiração lutar-ou-fugir". 

Esse mau hábito começa cedo. É raro atualmente encontrar uma criança de jardim-de-infância que não esteja respirando pelo diafragma. Porém, ao chegar à 6a série, segundo os médicos, é raro encontrar uma criança respirando da maneira que a natureza projetou. Submetidas a crescentes fatores de estresse e influências negativas a sua volta, mesmo as crianças perdem a saudável respiração dos bebês. Então, será que não é hora de recuperarmos a respiração que tínhamos quando crianças? Como a poetisa Elizabeth Browning escreveu, "aquele que mais vive é quem mais ar respira".

Respiração e coração

• As conseqüências da respiração deficiente podem ser muito graves, como demonstraram os pesquisadores Alan Hymes e Phil Nuemberger. Eles verificaram que todos os 153 pacientes internados na unidade coronariana de um hospital de Minneapolis, nos Estados Unidos, respiravam predominantemente pelo tórax. 

• O coração se situa exatamente em cima da parte central do diafragma. Na realidade, está até ligado a ele. Quando respiramos profundamente, o coração é massageado. Num estudo feito na Holanda por J. Van Dixhoom, a respiração diafragmática foi ensinada a pacientes que sofreram um ataque cardíaco. A probabilidade de terem um segundo ataque foi reduzida em mais de 50%. 

• Cada célula de nosso corpo e cada sensação que temos são influenciadas pelo ritmo respiratório.

Preste atenção

• Observe-se durante o dia. Tente perceber se você está respirando muito rápido ou pela boca. Respire lentamente pelo abdome e deixe os ombros e o peito relaxar. Assegure-se de que você está respirando pelo nariz. Isso aquece e filtra o ar antes que chegue aos pulmões. 

• Cheque seu guarda-roupa e evite usar vestimentas que restrinjam sua plena respiração, como vestidos muito justos ou cintos apertados. Desde o século XIX, quando jovens mulheres morriam devido a mutilações em seus órgãos vitais pelo uso de apertados espartilhos, algumas tendências da moda têm sido prejudiciais à saúde.